Em seis anos, assistência técnica do Senar/MS inovou mais de 57 mil hectares no estado - Senar MS



Em seis anos, assistência técnica do Senar/MS inovou mais de 57 mil hectares no estado

28/05/2018

Em seis anos, assistência técnica do Senar/MS inovou mais de 57 mil hectares no estado

Levantamento apresentado ao Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável comprova a eficiência da metodologia de ATeG

 

Fortalecer a pecuária de corte focando na gestão da atividade e no melhor manejo de pastagens. Esse é o objetivo do programa Mais Inovação, uma das linhas de atuação da ATeG – Assistência Técnica e Gerencial, do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural.

O programa existe desde 2012, e até o final de 2017, os indicadores apontavam que, aproximadamente, 58 mil hectares em Mato Grosso do Sul foram inovados. Isto é: em toda essa área foram implantadas tecnologias para recuperação de degradação, tais como renovação ou recuperação de pastagens, implantação de sistemas de integração lavoura-pecuária ou integração lavoura-pecuária-floresta.

“Conforme as experiências, identificamos que os produtores necessitavam de tecnologias que colaborassem com a renovação da área degradada e fosse mais rentável. Em parceria com a Embrapa, disseminamos aos assistidos os sistemas de integração silvipastoril e agrossilvipastoril. A lavoura permitiu o retorno do investimento mais rápido, alavancando o programa no estado”, afirma o presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito.

Linha do tempo – Até 2015, o programa era alicerçado no serviço de consultoria na recuperação e reforma de pastagens degradadas, nas quais as ações sempre estiveram relacionadas aos três pilares da sustentabilidade: ambiental, social e econômico.

Em 2016, o programa estabeleceu um novo plano de trabalho com os empresários rurais, por meio do conjunto de normas e procedimentos de Boas Práticas Agropecuárias (BPA). Com o tempo, os técnicos do Mais Inovação constataram a necessidade de melhorar o gerenciamento das propriedades.

“Em 2017, o Senar/MS reformulou o programa e incluímos duas grandes ferramentas, sendo a utilização de um sistema eletrônico de gestão de dados e a aplicação do Guia de Indicadores da Pecuária Sustentável (GIPS) em 152 propriedades. Graças a esse material orientativo, essas empresas rurais apresentaram um grande avanço em sustentabilidade com resultados bastante positivos na produção”, informa a coordenadora técnica Unidade Técnica do Sistema Famasul, Mariana Urt.

O levantamento feito pelo Departamento de Assistência Técnica e Gerencial (DATeG) do Senar/MS, foi apresentado em São Paulo no encontro do GTPS, em abril.

“O Guia de Indicadores dá uma ótima base para as iniciativas sustentáveis serem implantadas na propriedade e mostra que, por mais que os produtores não percebam, eles já praticam muitas delas. Isso ajuda a promover a imagem positiva da pecuária e anima os pecuaristas a continuarem implantando mais ações”, afirma a técnica de campo do Senar/MS, Stéphanie Ferreira.

Com a aceitação positiva, a equipe do programa vai aplicar o guia anualmente para melhoria contínua nos indicadores, bem como indicar soluções durante o monitoramento para promover o alcance do grau de sustentabilidade satisfatório.

“Onde antes poderiam ser colocadas 55 mil cabeças, hoje na mesma área, cabem 136 mil animais, devido, principalmente, porque conseguimos incrementar a capacidade de suporte que era de 0,87 UA/ha/ano – abaixo da média nacional, para 2,25 UA/ha/ano. Isso demonstra a alta capacidade de resiliência ambiental e eficiência produtiva dos produtores, que juntos evitaram o desmatamento de 93.900 hectares do bioma cerrado em MS”, destaca Mariana Urt.

 

Sobre o Mais Inovação

Atualmente o programa atende, em todo o estado, 197 propriedades em 44 municípios. São 16 profissionais a campo, sendo um supervisor e 15 técnicos; engenheiros agrônomos ou zootecnistas, treinados e capacitados para elevar o patamar produtivo e econômico das propriedades.

Desde 2014, o Sebrae/MS é o maior parceiro do Senar/MS no programa Mais Inovação. Juntas, as instituições visam estimular os produtores rurais a aperfeiçoar a atividade, possibilitando novas oportunidades de negócio e fortalecendo o que já desponta na propriedade. Para as demandas do ciclo 2017/2018 do Mais Inovação, o Sebrae disponibilizou R$ 1,5 milhão. A expectativa é atender 240 novas propriedades em Mato Grosso do Sul.

O período de atendimento é anual, com visitas mensais de 4 horas, que pode ser renovado ano a ano. Mais informações podem ser obtidas nos sindicatos rurais dos municípios e pelo telefone: (67) 3320-6930.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Sistema Famasul – Rodrigo Corrêa


Voltar

Programas e Projetos


Mais projetos

Facebook


Instagram


Siga-nos no Instagram!

Twitter

Siga-nos no Twitter!