Senar/MS: Capacitação proporciona oportunidades de renda e socialização para mulheres de Estabelecimento Penal

29/06/2018

Senar/MS: Capacitação proporciona oportunidades de renda e socialização para mulheres de Estabelecimento Penal

Em Jateí, município localizado a 265 quilômetros de Campo Grande, 15 reeducandas do Estabelecimento Penal Feminino Luiz Pereira da Silva receberam o curso Artesanato em Palha de Milho, oferecido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar/MS.

A iniciativa foi realizada em parceria com a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e o sindicato rural do município. “Oferecer educação e promover qualificação estão entre as premissas da missão da nossa instituição, uma entidade que não vê barreiras entre o conhecimento e a população. O curso ofertado dentro do estabelecimento amplia a expectativa profissional dessas mulheres, possibilitando o aprendizado e uma nova oportunidade profissional”, explica o superintende do Senar/MS, Lucas Galvan.

As aulas garantem interação e socialização. “É muito gratificante ministrar os cursos do Senar, sempre digo que quem participa de uma das aulas sai diferente, pensa diferente. Nesse caso, as alunas dividem e multiplicam, trabalham em equipe e aprendem a respeitar os limites umas das outras. O resultado foi espetacular”, comenta a instrutora, Rosita das Graças Teixeira.

No decorrer do curso, com duração de 32 horas, as participantes aprenderam técnicas sustentáveis de reaproveitamento da palha, que seriam descartadas, do tratamento da matéria-prima até o produto final que são as bonecas, quadros e rosas. A palha, que iria para o lixo, vira arte, unindo sustentabilidade e reinserção social. Diversos objetos de decoração foram confeccionados, entre eles bonecas, quadros e rosas.

Para o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, proporcionar novos ensinamentos prepara o público para a vida em liberdade. “Inovar as parcerias e incentivar as internas a participarem de diferentes cursos capacitam-nas para o mercado de trabalho, além de contribuir como fonte alternativa na geração de renda familiar”, finaliza.

Segundo a diretora do presídio, Solange Pereira, as capacitações que são oferecidas na unidade prisional contribuem para que as reeducandas acreditem em um futuro diferente, descubram novas habilidades e se sintam mais valorizadas. “Isso possibilita melhor inserção de custodiadas em atividades de ressocialização”, destaca.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul – Ellen Albuquerque

Com informações e foto da Assessoria de Imprensa da Agepen.


Voltar

Programas e Projetos


Mais projetos

Facebook


Instagram


Siga-nos no Instagram!

Twitter

Siga-nos no Twitter!